Deep below,
Each word gets lost in the echo
Domingo, 28 de Setembro de 2014

The Only Exception | 13

O primeiro fim-de-semana em Nova Iorque tornara-se algo enfadonho. Na verdade, Louise não depositara grandes expectativas nesses dias, até porque tinha muito trabalho pela frente se ainda desejasse passar de ano. E curiosamente, agora achava ter um motivo para se esforçar mais dali em diante. Jamais ambicionaria ser tão inteligente como Nate, tinha consciência de que era impossível; mas podia pelo menos esforçar-se para conseguir ficar na turma dele no ano seguinte. Sentia-se estúpida ao pensar no assunto, afinal conhecia-o há pouco menos de três dias; mas irrefletidamente dava por si a sorrir parvamente. O desafio que ele representava, a perseguição na conquista da sua atenção deixavam-na feliz e pela primeira vez em muito tempo, recuperara o sorriso genuíno que a caracterizava e o vigor que há muito lhe faltava.

De qualquer forma, a percepção de que estava a ser um fim-de-semana extremamente aborrecido não a abandonava. Era Domingo e em pleno fim de tarde encontrava-se sozinha. Estava no quarto, sentada à secretária com vários livros e os apontamentos que Claire lhe fornecera espalhados por toda ela. Uma confusão tal, que nem ela própria entendia. Com um suspiro cansado e aborrecido encostou-se na cadeira com os braços cruzados atrás da cabeça e de caneta na boca distraída. Começava a arrepender-se amargamente de ter tido a brilhante ideia de sequer tentar. A sua dedicação ainda não tinha dado frutos e estava trancada em casa há quase dois dias. A frustração aumentava mais e mais, deixando-a perdida e à beira do desespero. Seria possível, não perceber a ponta de um chaveiro? Fórmulas matemáticas? Essas pareciam verdadeiros problemas complexos. Não percebia metade do que lia, estava completamente perdida. Precisaria de um milagre para recuperar o tempo perdido e transitar para o último ano do ensino secundário.

Levantou-se e desceu até à cozinha para comer. Tanto esforço – e nenhum resultado – havia provocado um buraco enorme no seu estômago. Por isso atirou-se ao frigorífico e à dispensa com entusiasmo, Letizia deixara-a à vontade para se servir do que quisesse e era o que faria sem pensar muito no assunto. Preparou uma sandes com três andares e um copo de leite e sentou-se à bancada a comer distraída e a rir sozinha. Se havia algo que gostava de fazer realmente era comer e para quem não sabia cozinhar, considerava-se que ninguém fazia sandes como ela.

Os seus olhos percorreram a cozinha moderna e arrumada atentamente. Não sabia o que procurava, talvez… talvez se sentisse estranha por se encontrar numa casa que não era sua. Ou talvez estar só aumentava o vazio que lhe crescia no peito e a procura de algo que o pudesse preencher se tornasse mais evidente. Foi nessa altura que encontrou a porta interior da garagem inutilizada. Thomas estacionava sempre em frente à casa. Abocanhou a sandes em três tempos e após terminar o leite, desceu ao porão até á garagem apinhada de utensílios, velharias; mas algo mais chamou a sua atenção.

Este quarto era do meu irmão mais velho, tudo o que era dele foi removido…” Lembrou-se de imediato sobressaltada. A voz de Nate era nítida na sua cabeça. Aproximou-se de um dos cantos da garagem e automaticamente as suas mãos agarraram-se a um retrato quebrado que estava abandonado numa das caixas de papelão. Recordava-se de que na casa não havia registo algum, prova alguma irrefutável de que esse irmão existiria e agora estava explicado. Tudo quanto poderia lembrá-los dele fora cuidadosamente arrumado na garagem. Estava explicado porque é que ninguém descia ali, á excepção de Ellen talvez. A sua cabeça dava voltas, tentando perceber o que acontecera; mas não conseguia chegar a uma conclusão. Não tinha informações suficientes para elaborar um possível cenário. Continuou a perscrutar curiosamente as caixas quando finalmente achou ter encontrado algo que talvez valesse a pena ver.

Um conjunto de fotografias cuidadosamente presas a um DVD intitulado de “Winter Ballet Performance” fizeram-na quedar-se por instantes. Uma parte de si sabia que não devia mexer nas caixas e nos pertences alheios; mas a proibição fazia-a sentir-se ainda mais curiosa por isso, após uma fracção de segundos de hesitação, agarrou-se às fotografias. Sorriu entusiasmada, sacudindo o pó antes de verificar do que se tratava. O tema por si só era interessante do seu ponto de vista, ela própria era desajeitada para a actividade; mas adorava ver espectáculos clássicos e renascentistas como o ballet. Depois de limpar minuciosamente a poeira, virou as fotografias e examinou-as atentamente. As primeiras não eram muito claras, na verdade quem as tirara fora pouco cuidadoso. No entanto, há medida que avançava o foco parecia compor-se e quando chegou às últimas seis fotografias sentou-se no chão agarrada á barriga a rir. Não pode ser! Pensou divertida.

- Então o génio tem um segredo. Um bem embaraçoso. – Murmurou em meio a uma gargalhada sonora. Imaginar Nate numa actividade daquelas não era impossível, imaginá-lo num tutu era absolutamente fora do comum. Com uma postura tão séria, jamais imaginaria vê-lo numa posição tão embaraçosa. – O que será que há no DVD? – Perguntava-se se seria mais do mesmo.

Levantou-se, levando as fotografias e o DVD consigo até à sala, onde procurou o leitor. Sabia que o tinha visto antes. Encontrou-o na prateleira do móvel onde repousava a televisão. Troteou até lá e preparou o filme, sentando-se no sofá em frente de comando na mão ansiosa pela revelação do conteúdo. O filme terminou pouco depois de ter começado; mas Louise ainda não conseguira parar de rir. Nate deveria ter uns nove, dez anos naquele vídeo e a sua personalidade não se desviara nem um milímetro fosse para melhor ou para pior. Continuava exactamente com aquela postura séria, directa e pouco dado a brincadeiras. Porém, alguém mais descontraído e Louise cria que fosse o irmão mais velho que ninguém jamais mencionava a sua existência, conseguira pregar-lhe uma partida e guardar registos caricatos desse dia.

- Louise querida, onde foste buscar tudo isto?

A voz surpresa de Letizia fê-la saltar assustada no sofá e correr às pressas de encontro ao leitor para retirar o disco e guardá-lo junto das fotografias espalhadas pela mesa de centro. Engoliu em seco e com tudo suspenso entre os dedos, olhou para Letizia com um ar culpado e arrependido.

- Desculpe, não devia ter mexido no que não me pertence. – Murmurou muito séria.

Letizia aproximou-se velozmente e arrancou-lhe as fotografias das mãos com uma estridente gargalhada.

- Não sejas tola. Eu não fazia ideia de que isto existia. – Disse muito rapidamente desvalorizando o acontecido. Nem ela sabia como foi que aquilo lhe passara despercebido.

- Estavam num dos caixotes de cartão que estão guardados na garagem.

Letizia quedou-se por instantes em silêncio. O seu rosto assumira uma expressão indecifrável que deixou Louise apreensiva. Talvez devesse ter ficado calada. Com um sorriso enternecido e algo melancólico Letizia passou as fotografias por entre os dedos uma a uma.

- Logan. – Murmurou de lágrimas nos olhos.

Lembrava-se perfeitamente daquele dia, nunca vira Nate tão aborrecido e agressivo como nesse dia antes do espectáculo escolar, porém, fora o dia em que Nate havia deixado de falar com o irmão temporariamente. Nate não suportava brincadeiras idiotas e de mau gosto, principalmente quando o alvo a abater era ele próprio. O seu peito espremeu-se de saudade. Perguntava-se por onde andava ele, se estaria bem ou se estaria vivo depois de tantos anos ausente.

- Desculpe Letizia, não queria aborrecê-la.

- Ò querida! – Exclamou Letizia com a voz embargada, limpando as lágrimas antes de se virar para a olhar. – Não tens de pedir desculpa. Não estou aborrecida, são apenas saudades. Toma. – Disse, estendendo-lhe as fotografias para as devolver. – Guarda-as contigo, quem sabe não possas precisar delas futuramente. – Recomendou com um sorriso atrevido e um piscar de olho sugestivo.

Louise piscou os olhos confusa, não sabia onde estava ela a querer chegar; mas pelo sim, pelo não aceitou as fotografias e o DVD. Na eventualidade de precisar delas iria guardá-las; mas perguntava-se ingenuamente que uso teriam meia dúzia de fotografias nas suas mãos. Seria para rir um pouco quando estivesse em baixo? Não fazia ideia.

- Obrigado. – Disse baixinho.

- De nada. Já terminaste os estudos? – Perguntou interessada. Louise baixou o rosto e num movimento de corpo dançante ligeiramente nervoso cuspiu a verdade quase em segredo. - Ânimo querida, não desistas. Eu sei que consegues. – Disse entusiasmada, gesticulando verdadeiramente animada. Louise sorriu, agradecendo a confiança que depositava em si e nos seus esforços vãos. – Vá, vai tomar um banho rápido para jantarmos. O Thomas e as crianças devem estar a chegar com o jantar. É pizza.

- Estou a ir. Até já.

 

Isto infelizmente, apesar de ter ideias, está a andar lentamente. São ideias muito dispersas e levo algum tempo a ligar conteúdos, peço desculpa pela demora. XiéXié Vanessa.

publicado por a.nee às 19:54
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Vitor a 28 de Setembro de 2014 às 20:16
Vou ter de reler isto, a começar ainda hoje xD
Não que tenha perdido o fio à meada, mas preciso de refrescar a cabeça quanto a alguns acontecimentos que já se passaram nos capítulos anteriores xD
Algo que já fiquei com saudade em dizer: Lugar reservado para comentar u-u


De • Smartie a 29 de Setembro de 2014 às 16:35
Não tem problema nenhum, o que interessa é que já veio finalmente :D
E gostei, apesar de não ter adiantado muito na história :) Estou curiosa em relação ao que se passou com o Logan :o
Mais, mais ^^
Beijinhos*


De a.nee a 29 de Setembro de 2014 às 18:42
É verdade não adiantou nada; mas estes capítulos desinteressantes também fazem parte da história. E há um detalhe importante nele, que mais adiante voltará a ser mencionado. Por isso, apesar de desinteressante, era importante escrevê-lo. :)


De • Smartie a 29 de Setembro de 2014 às 18:51
Eu não disse que era desinteressante ou que não era importante fazer parte da história, disse que gostei apesar de não ter adiantado muito em termos de enredo :) E, tal como disse, fiquei bastante curiosa em relação ao mistério todo à volta do Logan.


De a.nee a 29 de Setembro de 2014 às 19:06
Eu percebi o que disseste, eu estava a manifestar a minha opinião porque tenho noção de que como disseste não adianta nada em termos de enredos; mas consequentemente também não trás nada de interessante. xD


De • Smartie a 29 de Setembro de 2014 às 19:08
Ahh, eu não concordo...achei muito interessante a introdução de uma possível história acerca do Logan e do que aconteceu com ele e também gostei da ideia do Nate ter feito ballet xD


De a.nee a 29 de Setembro de 2014 às 19:11
Está bem pronto. Isso também é verdade, levantei o véu a alguns pormenores. O ballet xDD Ainda bem que gostaste.


De • Smartie a 29 de Setembro de 2014 às 19:16
Gostei, pois :) Estou muito curiosa em relação ao que aí vem!


De sacha hart a 29 de Setembro de 2014 às 17:25
Mais uma vez foi uma agradável leitura ler um dos capitulos de "The Only Exception". Estou mesmo a gostar muito da história e fico curiosa por mais (:


Comentar post

The Only Exception


Nathan Vanderbilt tinha uma vida normal - até ao dia em que conheceu o seu pior pesadelo: Louise McKenzie. Sério, frio, calculista, prepotente e irrepreensivelmente inteligente e popular no colégio; enquanto Louise não passa de uma rapariga normal com notas medíocres; sonhadora, sensível, intensa e verdadeira espera reunir as condições necessárias para se aproximar do coração enregelado do filho mais velho dos Vanderbilt a quem nunca nenhuma namorada se lhe conheceu. Numa luta interior constante, Nathan irá perceber que não tem como fugir á realidade, à novidade e aquilo que sente pela filha do melhor amigo do pai.

SOBRE A HISTÓRIA.


Profile

Ana. 29 anos. Licenciada em Engenharia Informática. Seguros. Música. Ler. Escrever. 30 Seconds To Mars. Aaron Yan. Muse. Linkin Park. Green Day. Three Days Grace. Snow Patrol. Kings Of Leon. Paramore. Game Of Thrones. Switched At Birth. Suits. Once Upon a Time. Teen Wolf. Heart Of Dixie. Covert Affairs. Arrow. The Flash. Bones. Hawaii Five-O. Nashville. The Fosters. KDrama.


Linkage

The Only Exception Palavras Soltas Filmes Séries KDrama


Credits

Layout Lettha
Icon TFN
Colors Colorpicker
ADAPTAÇÃO POR: anaap.



SEGUIR PERFIL