Deep below,
Each word gets lost in the echo
Terça-feira, 26 de Agosto de 2014

The Only Exception | 5

Louise acabou por ficar sozinha, o resto da manhã. Letizia ausentara-se com a desculpa de que tinha de fazer o almoço, deixando-a embrenhada no silêncio do quarto. Deitou-se de costas na cama, agarrada a um dos peluches e sorriu até lhe doer o rosto. Já não se recordava da última vez que sorrira daquele jeito. Parecia que tinha sido há tanto tempo. Depois de sepultar Reiko, sentira que uma pequena parte de si perdera o brilho e a razão de viver; mas agora podia senti-la finalmente renascer dentro de si.

Desceu perto da uma da tarde para se juntar a Garey, Thomas e Letizia para o almoço. De tarde Garey iria finalmente conhecer a empresa do grupo Vanderbilt e ela iria tratar dos papéis da escola. Letizia entrou com duas travessas fumegantes e pousou-as no centro da mesa, mirando Louise depois na expectativa. Um sorriso aguado marcou o rosto da rapariga quando viu o seu prato favorito ser servido.

- Ó! – Exclamou.

- Acertei? – Perguntou Letizia animada.

Louise abanou a cabeça.

- Sim, obrigado.

- Então bom apetite. – Disse Thomas por entre uma gargalhada, servindo-se de imediato.

Louise serviu-se depois de Garey entusiasmada. O prato era pequeno para suportar o seu apetite voraz. Mais tarde, de barriga cheia tomou liberdade e pediu licença para se ausentar. Não queria perder mais tempo.

- Tens tudo o que precisas? – Perguntou Garey, pousando os talheres.

- Sim. – Respondeu. Limpou a boca ao guardanapo e levantou-se. – Prometo não me demorar.

- Na verdade, – Letizia intrometeu-se um pouco reticente, olhando para Thomas com um ar culpado. Louise franziu o cenho e voltou a sentar-se. – só precisas de ir ao colégio comprar o uniforme.

A rapariga abriu muito os olhos e inclinou o rosto para Letizia, esperando uma justificação plausível para aquele seu argumento. Seria possível que… Não. Ela não tivera tempo para a matricular. Ou tivera? Perguntava-se. Garey parecia igualmente transtornado.

- Hum? – Perguntou Garey confuso. – Não estou a entender.

- Garey, não fiques aborrecido; mas a Letizia fez questão de tratar desse pormenor. – Respondeu Thomas serenamente, sorrindo depois para Letizia que se mostrava um pouco aflita ante a recepção pouco amistosa de Garey aquela novidade. – A partir de hoje a Louise estudará no mesmo colégio que Nate.

Garey levantou-se atordoado e a remoer por entre dentes. Aquilo não fazia o menor sentido, de onde tiraria o dinheiro para pagar a mensalidade? Não tinha como sustentar um colégio privado durante quase dois anos. A sua evidente irritação deixou Letizia atrapalhada e Louise emudecida e preocupada.

- Vocês perderam o juízo? – Perguntou pausadamente, controlando o ímpeto que o consumia naquele instante. – Eu não tenho como sustentar um colégio privado. Também não permitirei que vocês acarretem essa responsabilidade, a Louise é minha filha.

- Garey-

- Thomas, - Interrompeu-o aborrecido. – Agradeço a tua gentileza; mas esse é um problema só meu.

Thomas suspirou, deixando o amigo prosseguir o seu desabafo irritado e no final ergueu a voz calmamente para o chamar à razão.

- Rey! – Exclamou num tom rouco autoritário. Era a única forma de o fazer parar aquela idiotice. Garey emudeceu-se e cruzou os braços, mantendo a postura séria e aborrecida. Há muito tempo que ninguém o tratava por Rey. – Por quem me tomas? – Perguntou. – A Letizia só estava a tentar ajudar. A Louise ficou garantida no colégio por dois anos, com direito a bolsa integral desde que não chumbe, nem infrinja as normas do colégio.

- Isso. – Disse Letizia. – A Louise só tem de comprar o uniforme.

O rosto de Garey assumiu uma expressão impávida ao aperceber-se de que tirara conclusões precipitadas. Os seus ombros caíram descontraídos e suspirou derrotado, ainda sem perceber como haviam eles conseguido integrar Louise num colégio tão prestigiado. As suas notas eram fracas, o seu desempenho não era melhor. Não gostava de atribuir a culpa à morte de Reiko; mas quando pensava no assunto facilmente constatava que fora nessa altura que Louise deixara de ter objectivos e perdera o interesse pelo futuro. Conformado deu o braço a torcer.

- Obrigado pela atenção Letizia. – Disse. – Não sei em que medida será possível mantê-la lá; mas podemos tentar.

- Além disso, é uma excelente oportunidade para a Louise conseguir chegar a uma qualquer das mais prestigiadas universidades do país. – Corroborou Thomas.

Louise arregalou os olhos e tossiu. Não fazia parte dos seus planos frequentar uma universidade prestigiada e de renome.

- Sim. – Garey concordou com um aceno, parecendo agora mais entusiasmado com a ideia. Talvez fosse daquilo que a filha precisasse para alcançar novos horizontes e tecer novas perspectivas de vida para o futuro. - A Louise vai esforçar-se para não vos desiludir, não é? – Olhou para a filha; mas ela parecia ter-se ausentado. – Não é? Meiko?

Meiko! O nome fuzilara o seu subconsciente como uma bala atrevida em pleno campo de guerra. O pai nunca a tratara por aquele nome. Porquê agora? Ao olhar para ele, apercebeu-se do desconforto que o subjugava, os calores frios que o faziam engolir em seco como se esperasse da sua parte um qualquer comentário de desagrado. No entanto, foi o silêncio que se propagou por mais uma fracção de segundos. No final Louise sorriu e confirmou com um aceno.

- Prometo dar o meu melhor.

 

Os meus rascunhos estão a ganhar forma, no papel e na cabeça também. E já escolhi um título, as you can see.

publicado por a.nee às 21:30
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De • Smartie a 26 de Agosto de 2014 às 22:07
Espero que corra tudo bem com ela no novo colégio :)


De summer wright a 26 de Agosto de 2014 às 22:24
gostei do título!
como sempre, está bem escrito. continuo a ter a sensação já de há muitos anos que sempre que leio algo teu estou a assistir a uma série ou a um filme.


De sacha hart a 27 de Agosto de 2014 às 00:59
Finalmente tem titulo, e um muito giro por sinal! 
Gostei muito do capitulo! Estou curiosa para saber como é que a Louise enquanto aluna vai reagir ao colégio.


Comentar post

The Only Exception


Nathan Vanderbilt tinha uma vida normal - até ao dia em que conheceu o seu pior pesadelo: Louise McKenzie. Sério, frio, calculista, prepotente e irrepreensivelmente inteligente e popular no colégio; enquanto Louise não passa de uma rapariga normal com notas medíocres; sonhadora, sensível, intensa e verdadeira espera reunir as condições necessárias para se aproximar do coração enregelado do filho mais velho dos Vanderbilt a quem nunca nenhuma namorada se lhe conheceu. Numa luta interior constante, Nathan irá perceber que não tem como fugir á realidade, à novidade e aquilo que sente pela filha do melhor amigo do pai.

SOBRE A HISTÓRIA.


Profile

Ana. 29 anos. Licenciada em Engenharia Informática. Seguros. Música. Ler. Escrever. 30 Seconds To Mars. Aaron Yan. Muse. Linkin Park. Green Day. Three Days Grace. Snow Patrol. Kings Of Leon. Paramore. Game Of Thrones. Switched At Birth. Suits. Once Upon a Time. Teen Wolf. Heart Of Dixie. Covert Affairs. Arrow. The Flash. Bones. Hawaii Five-O. Nashville. The Fosters. KDrama.


Linkage

The Only Exception Palavras Soltas Filmes Séries KDrama


Credits

Layout Lettha
Icon TFN
Colors Colorpicker
ADAPTAÇÃO POR: anaap.



SEGUIR PERFIL