Deep below,
Each word gets lost in the echo
Sexta-feira, 5 de Setembro de 2014

The Only Exception | 9

Ainda com tempo a sobrar Zac lembrou-se de parar nas arquibancadas por alguns minutos antes de seguirem cada um para sua casa. Aparentemente era algo que eles faziam enquanto durava a temporada de Lacrosse. Louise encolheu os ombros e seguiu-os sem protestar.

Ao observá-los de perto, percebeu que Claire e Blake iam pelo prazer de admirar os jogadores, falavam deles constantemente divertidas, assinalando os prós e os contras mentalmente; mas Zac não. O seu entusiasmo pelo desporto era tanto que sempre que alguma jogada combinada não surtia o efeito desejado quase saltava para dentro de campo como se fosse ele o próprio treinador.

Claro que ninguém lhe ligava. Louise tapou a boca com uma mão e gargalhou. Ele vibrava com o desporto, de tal forma, que enquanto a equipa não saiu do campo para o balneário ele não se calou. No final, sentou-se com um ar aborrecido junto de Louise, que estava agarrada às pernas flectidas, observando distraída o colega que agredira ao início da tarde sair de campo uma vez mais debaixo de uma enorme algazarra, a qual friamente ignorava.

- É simpático, não é? – Perguntou Blake divertida, olhando para Louise intencionalmente.

Claire franziu o cenho, sem perceber a origem daquele comentário, porém, ao seguir o seu olhar cuidadosamente vidrado em Louise, percebeu que o ataque não lhe era destinado.

- Louise chamada à terra. – Claire inclinou-se para lhe gritar junto a um dos ouvidos, fazendo-a estremecer.

- O que foi? – Perguntou distraída ao perceber que os três olhavam para si.

Blake sorriu desdenhosamente.

- Disse que ele era simpático. – Repetiu, apontando com a cabeça para aquele que ela sabia ser o capitão da equipa de Lacrosse. – Não é?

- Como poderia eu saber se o é? – Respingou aborrecida.

Claire abstraiu-se por instantes para somar dois e dois e chegar a uma conclusão bastante engraçada. Até então não tinha percebido a origem do discurso de Blake; mas ao ver Louise fugir atrapalhada do cerne da questão a situação tornava-se óbvia. Por isso, interveio.

- O Nate é boa pessoa; mas não te iludas. – Começou por dizer. – Ele não tem qualquer interesse em raparigas, vive para os estudos e para o Lacrosse.

- Vocês têm uma imaginação fértil demais, não estou interessada nele.

Algo naquele discurso fê-la repensar o assunto com cuidado. Era a segunda vez que uma delas a alertava para aquele pormenor: Nate nunca se apaixonara desde que ali entrara. Perguntava-se, seria esse seu ar misterioso que a empurrava na sua direcção desde que se haviam conhecido ou era simplesmente masoquista? De qualquer forma, não sabia a resposta aquela pergunta e não estava disposta ou com paciência para se debruçar a fundo sobre ela.

- Mentirosa. – Disse Blake por entre uma gargalhada sonora. – Os teus olhos não mentem tão bem como a tua boca desejaria.

Louise suspirou, como poderia continuar a negar depois de uma afirmação daquelas que por sinal era bem verídica. Zac deu-lhe um leve encontrão e sorriu-lhe encorajadoramente. O que estava prestes a admitir soava-lhe tão ridículo na sua cabeça que por instantes, desejou não ter de falar nada. Porém, Claire e Blake sustentavam uma expressão bastante esclarecedora quanto às suas intenções. Se não contasse agora, contaria mais tarde pois não desistiriam até obterem uma confissão da sua parte.

- Isto nunca me aconteceu antes. – Começou por dizer embaraçada. – Ainda não passou um dia, e ele já conquistou o meu coração. De qualquer forma, estou longe de abraçar o nível de mulher perfeita. – Prosseguiu corajosamente, sentindo um nó no estômago. Claire e Blake entreolharam-se e curiosamente agora não tinham nada para lhe dizer. Louise era tão pura, certamente as suas intenções também o seriam e algo lhes dizia que aquilo não iria terminar muito bem. – Está tarde, vou para casa. Não quero deixar o meu pai preocupado. – Disse, levantando-se preguiçosamente. – Bom fim-de-semana.

O silêncio ditara o fim do tema naquele dia; mas Louise sabia que não ficaria por ali. Sentia que tão cedo não esqueceria Nate e algo no mais íntimo do seu ser gritava em tamanha aflição que essa jornada por terrenos desconhecidos não seria fácil, por isso não faltariam oportunidades para voltar aquele tema numa outra altura. Um pouco perturbada, levantou as sacolas e sorriu antes de abandonar o campo de Lacrosse. Não tinha porque não o fazer, além de que aquilo já fazia parte da sua essência. Por muito ruim que o dia fosse aquele sorriso genuíno e cristalino, era o seu jeito único de dar a volta por cima.

Encarar as circunstâncias da vida era algo com que lidava desde muito nova. Nate era apenas mais uma circunstância, passageira talvez, cria ela. Mas até quando ele seria sempre um acaso do destino? Seria qualquer coisa; mas de passageiro, talvez não tivesse nada. Suspirou com profundo alívio sacudindo todos os pensamentos controversos e tortuosos dentro de si e acenou aos amigos.

- Bom fim-de-semana Louise. – Responderam unissonamente. Se fosse combinado provavelmente não teria saído tão bem.

- Não penses demasiado no assunto, querida. – Rematou Claire com um sorriso simpático a enfeitar-lhe o rosto. – Diverte-te e passeia muito. Nova Iorque tem lugares belíssimos. Segunda-feira cá estaremos.

- Exactamente! – Exclamou Blake em concordância.

Louise anuiu com a cabeça e desceu da arquibancada pensativa. Inicialmente achara que levava o rumo de casa; mas algures a meio do percurso de volta acabou por fazer um desvio que a faria chegar quase à hora de jantar à residência dos Vanderbilt. Não resistira, pois sabia que no momento em que regressasse não teria tempo para pensar em nada e detestava deixar assuntos pendentes. Estava em Nova Iorque há meia dúzia de horas e já tinha tanto com que se preocupar. Nate não fazia parte dos seus planos até então; mas curiosamente, ele não lhe saia da cabeça. Era uma realidade e tinha de aprender a conviver com ela.

A sua hostilidade, a qual não se cansava de inibir fazia-lhe confusão e talvez nunca se acostumasse a ela, no entanto, estava convicta que não seria esse o motivo que a levaria a esquecê-lo. Quando ele não estava a ser rezingão e cruel parecia-lhe um ser tão dócil e inofensivo... Talvez por isso não conseguisse tirar os olhos dele. Nate era bonito, na verdade, correspondia exactamente à definição de beleza que existia em qualquer um dos dicionários que se atrevesse a ler. Parou, então, para ver onde se encontrava. Ouviu um grasnar que a fez sorrir, e concluiu ao olhar em volta que estava no Central Park junto ao lago dos patos.

 

Eu tenho cá para comigo que estes rascunhos tão cedo não terminam. Embora os ditos cujos estejam a ficar mais extensos. Eu sou muito detalhista, dou demasiada atenção aos pormenores e isso faz com que as letras apareçam aqui e acolá. Bom, de qualquer forma, enquanto tiver ideias e paciência para escrevê-los eles vão aparecendo. Claro que, isto nem parece meu, mas os rascunhos são fresquinhos. Termino, publico. Este terminei agora; mas já tenho um rascunho em papel do próximo que quando passar para o computador vai ficar maior do que aparenta ser, são as ideias, os detalhes a surgir.

publicado por a.nee às 22:04
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De • Smartie a 5 de Setembro de 2014 às 22:46
Ela vai ter uma enorme surpresa quando chegar a casa e vir lá o Nate...uii, estou ansiosa por essa parte!
Mais :D
Beijinhos*


Comentar post

The Only Exception


Nathan Vanderbilt tinha uma vida normal - até ao dia em que conheceu o seu pior pesadelo: Louise McKenzie. Sério, frio, calculista, prepotente e irrepreensivelmente inteligente e popular no colégio; enquanto Louise não passa de uma rapariga normal com notas medíocres; sonhadora, sensível, intensa e verdadeira espera reunir as condições necessárias para se aproximar do coração enregelado do filho mais velho dos Vanderbilt a quem nunca nenhuma namorada se lhe conheceu. Numa luta interior constante, Nathan irá perceber que não tem como fugir á realidade, à novidade e aquilo que sente pela filha do melhor amigo do pai.

SOBRE A HISTÓRIA.


Profile

Ana. 29 anos. Licenciada em Engenharia Informática. Seguros. Música. Ler. Escrever. 30 Seconds To Mars. Aaron Yan. Muse. Linkin Park. Green Day. Three Days Grace. Snow Patrol. Kings Of Leon. Paramore. Game Of Thrones. Switched At Birth. Suits. Once Upon a Time. Teen Wolf. Heart Of Dixie. Covert Affairs. Arrow. The Flash. Bones. Hawaii Five-O. Nashville. The Fosters. KDrama.


Linkage

The Only Exception Palavras Soltas Filmes Séries KDrama


Credits

Layout Lettha
Icon TFN
Colors Colorpicker
ADAPTAÇÃO POR: anaap.



SEGUIR PERFIL